Skip

Projetos açorianos distinguidos em Simpósio Internacional de Educação na Finlândia

Anabela Tristão Santos, docente na  EBS Tomás de Borba, foi a vencedora do prémio internacional “BEST EDUCATIONAL PRACTICES BY TEACHERS atribuído pelo Simpósio Internacional de Educação LUMAT 2019, na Finlândia, que distinguiu o projeto desta docente sobre germinação de sementes Grow your own food! Dare to try it (even on the moon)!   

Este projeto, que tem como base um processo científico de experimentação, observação e registo de dados, integra ainda a área da programação e da robótica, usando um sensor de humidade compatível com o processador Arduino, amplamente utilizado nas escolas dos Açores. Para além do projeto açoriano, foram também distinguidos nesta categoria um projeto da China e outro da Finlândia, o que demonstra o caráter inovador do mesmo. 

Neste Simpósio, que teve lugar de 5 a 7 de junho de 2019, na cidade de Jyväskylä, os Açores foram igualmente representados pela docente Sandra Leite, da EBI da Praia da Vitória, fundadora do projeto eTwinning e Scientix “CINEMA – Desafio criativo das STEM”.

No Simpósio LUMAT as docentes da Região Autónoma dos Açores tiveram a oportunidade de apresentar oralmente o projeto STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics) e foram convidadas a publicá-lo numa edição especial do jornal LUMAT-B (na categoria artigo científico), com os seus pontos de vista e experiências sobre educação em ciência, tecnologia, matemática e pesquisa educacional, tendo envolvido os alunos do regime educativo especial (turma Ocupacional, a turma DOV A da EBIPV), uma turma do curso Profissionalizante (cozinha, pintura e construção civil) da EBI de Angra do Heroísmo e outra turma do ensino especial do Institut Andreu Nin, El Vendrell em Tarragona, Espanha.

De acordo com Sandra Leite, a “educação para todos está intimamente ligada ao trabalho e aos direitos iguais de pessoas com deficiência e contra a sua exclusão social, sendo a ferramenta mais eficaz para desenvolver as habilidades necessárias para um grupo de alunos com necessidades especiais, com idades compreendidas entre os 12 e 18 anos. O principal objetivo do projeto foi oferecer aos alunos, uma melhor compreensão do ambiente em que estão inseridos e ajudá-los a garantir um papel, uma participação ativa e responsável na sociedade em que se inserem.”

Com este projeto procurou-se ainda estimular o desenvolvimento de capacidades criativas e científicas, “promovendo a conexão entre a sociedade e estes alunos, tendo como solução integrada tecnologias de ponta que fossem adaptáveis, flexíveis, rentáveis e que fossem projetadas para auxiliar estes alunos a observar, descobrir, provar, verificar e medir os resultados de diferentes experiências e simulações, com base em situações da vida real”.

Coloque a sua questão/sugestão

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*